Pecaminosa Review – Um jogo Pixel Noir, que pena!

PARAVamos analisar juntos, nesta crítica mais do que prolixa, Pecaminosa – A Pixel Noir Game, um produto independente da Cereal Games que chegou recentemente às prateleiras físicas e digitais

A indústria independente de videogames sempre confiou na “Atmosfera”. Por serem, com algumas exceções, muito carentes de orçamento, os títulos independentes se refugiam em saber contar histórias, acontecimentos, fatos e personagens para torná-los, na medida do possível, inesquecíveis. Basta pensar em Gris ou Celeste, A Testemunha ou Pequenos Pesadelos para perceber que você não precisa de números astronômicos para contar uma história. Então, por que, muitas vezes, nos deparamos com seguranças que não deixam marca e que, ao contrário, são falhas parciais? Por que muitas vezes nos encontramos na frente de videogames como Pecaminosa – um jogo Pixel Noir?
O título foi desenvolvido pela Cereal Games, uma pequena indústria portuguesa que não tem outros títulos para listar, e tem como objetivo recriar o ambiente do filme noir dos anos 1950, com uma trama que mistura o detetive com elementos sobrenaturais. “Misturar” é um termo que usaremos com frequência, nesta revisão de Pecaminosa, dado o tentativa quase espasmódica de gerar interesse no jogador adicionando muitas, muitas peças, que, no entanto, não conseguiram se misturar. Vamos prosseguir passo a passo e ver por que, no geral, ficamos desapontados.

Confisco

John Souza é o clássico (agora) ex-detetive com um passado sombrio, um pecado a reparar e uma lista de inimigos que o querem morto praticamente sem fim. John Souza é a nossa desculpa para conhecer a cidade de Pecaminosa, que estranhamente não é Chicago, um lugar de perdição feito de prostitutas, gangsters, traficantes de drogas, ratos domésticos (e não só) e uma decadência já inerente ao próprio ser do lugar. John Souza encontra-se, um dia como muitos outros, depois de mais uma garrafa de Whiskie, diante de Charlie “Two Angels”, conhecido criminoso procurado, que lhe confia uma tarefa importante e da qual não pode escapar. Tudo bem até agora, exceto que, tecnicamente, John matou Charlie há algum tempo.
Deste frágil premissa parte de uma narrativa às vezes confusa, às vezes muito precipitada, que nos trouxe para o total de 3 atos de que o título é composto. Embora inicialmente esperássemos nos encontrar diante de uma aventura de detetive, à medida que o jogo continua Pecaminosa estranhamente toma o caminho do sobrenatural e do esotérico, afastando-se daquele em que os meninos da Cereal Games tiveram sucesso perfeito: o investigativo aventura. Digamos que, quando nos deparamos com demônios e criaturas semelhantes, o interesse pela história de John diminui drasticamente.
Pecaminosa Review - Um jogo Pixel Noir, que pena!

O que está acontecendo? | Pecaminosa Review – A Pixel Noir Game

Além disso, a escalada em direção ao elemento sobrenatural é o mais confuso e casual foi visto. Se inicialmente os pedidos feitos pelos vários NPCs para a continuação da trama são simples e congruentes com a realidade, com o progresso do jogo eles vão se tornando cada vez mais bizarros, confusos e enganosos. Se inicialmente, portanto, a Cereal Games tinha conseguido nos conquistar com a (embora débil) linha narrativa da história de John, no final nos encontramos vivendo o jogo como se fosse um Doom qualquer em 2D e 32 bits. Com a agravante de que jogar Pecaminosa não é nada agradável como em Doom Eternal.
Pecaminosa – Um jogo Pixel Noir é um atirador de vara dupla. Podemos então mover John com o controle esquerdo do controle e mirar com nossa arma usando o direito e atirando com uma dorsal. Em títulos como esses, o visor e a gerenciamento de espaço. Dois fatores que, se não feitos corretamente, geram uma confusão desumana, especialmente se o título que você está jogando também tiver elementos bullet hell. E adivinha?
Pecaminosa Review - Um jogo Pixel Noir, que pena!

Que bagunça…! | Pecaminosa Review – A Pixel Noir Game

O título de Cereal Games é terrivelmente confuso desde os primeiros estágios do jogo, quando não teremos outra arma senão os punhos de John. O visor, especialmente, será completamente inútil, pois só vai dar uma ideia da direção do golpe, mas não de seu ponto de chegada. O marcador final da linha de tiro, de fato, nunca corresponderá ao ponto de chegada da bala disparada e não podemos entender tal decisão. Em seguida, adicionamos isso, no Nintendo Switch, o jogo no modo portátil é difícil de ler devido ao tamanho pequeno da tela e muitas vezes nos encontramos correndo e desviando em direções aleatórias tentando desviar de balas invisíveis.
John é capaz de equipar, além de seus punhos, uma arma de fogo do arsenal que destravaremos à medida que continuarmos com a história. Da pistola à espingarda, passando pela metralhadora, a sensação das armas é bastante desleixada e, além da cadência de tiro, não notamos nenhuma diferença particular. O feedback das tomadas, tanto de entrada quanto de saída, também é terrível: você nunca entenderá se realmente atingiu um inimigo (exceto olhando para a barra de vida que desce lentamente) ou se John foi atingido. Uma situação que se torna ainda mais embaraçosa nas lutas de chefes que, principalmente nas fases finais do jogo, se tornarão completamente aleatórias e mortais … pelos motivos errados.
Pecaminosa Review - Um jogo Pixel Noir, que pena!

LIFE | Pecaminosa Review – A Pixel Noir Game

Outro elemento interessante misturado em Pecaminosa, mas pouco explorado, é a possibilidade de atualizar John com os pontos de habilidade ganhos por subir de nível em um sistema chamado VIDA Sorte, Inteligência, Força ed Resistência são as quatro características em que podemos nos concentrar. Sorte aumenta a queda de inimigos e sacos de lixo espalhados pela cidade, Inteligência desbloqueia mais opções de diálogo com NPCs, Força aumenta os pontos de vida máximos e Resistência a barra de Estamina. Embora possa parecer um sistema equilibrado e interessante, os dois primeiros recursos são praticamente inúteis.
Para ver as melhorias sob a frente de queda, teremos que levar Luck a níveis muito altos e as opções desbloqueadas com Inteligência são versões alternativas de outras linhas de diálogo já disponíveis e que não levarão a variações na história. Como sempre acontece, então, você se verá como um anúncio aumentam indiscriminadamente a Resistência e a Força, para fazer de John uma máquina de guerra e não ter problemas com lutas casuais com chefes.
Pecaminosa Review - Um jogo Pixel Noir, que pena!

… Que bom! – Revisão de Pecaminosa – Um jogo Pixel Noir

Finalmente, a cidade. Completamente vazio, nu e sem qualquer sentimento particular. Considerando então que John tem uma caminhada bastante relaxada, sem a possibilidade de correr e atirar (exceto para aqueles três ou quatro disparos dados pelo consumo de energia), as caminhadas pelas várias áreas dos mapas foram lentas e intermináveis, quebrando assim o ritmo já solto da narração. Adicionando a nós que não há missões secundárias, que o único minijogo disponível é o blackjack e que os NPCs sempre repetirão exatamente a mesma frase, você entenderá que tirar conclusões sobre Pecaminosa nesta revisão não é difícil, por mais que isso possa ser lamentável.
O que salva Pecaminosa é, sem dúvida, o setor artístico. A cidade, embora infelizmente vazia, emite uma atmosfera Noir e decadente muito interessante. A trilha sonora totalmente Jazz que funciona como pano de fundo estimula ainda mais o paladar dos amantes do gênero. Infelizmente, porém, a mera estética não é suficiente para reviver um título que queria fazer muito, sem apertar nada no final.
Pecaminosa Review - Um jogo Pixel Noir, que pena!

Em conclusão

Concluindo esta análise de Pecaminosa – A Pixel Noir Game, lamentamos muito rejeitá-lo em quase toda a experiência. Uma estética fascinante temperada pela trilha sonora da atmosfera Jazz Noir não pode reviver a sorte de um jogo que queria misturar muitos elementos, sem poder se destacar em apenas um. A mecânica do atirador de dois palitos é imprecisa, a progressão do personagem trivial e óbvia e a narrativa confusa e bastante esquecível. É uma pena, realmente, esperamos que os caras da Cereal Games saibam como se sair melhor com seu próximo título!
Pecaminosa – Um jogo Pixel Noir está agora disponível no PS4, Xbox One, PC e Nintendo Switch. Fique ligado na Entierradegamers para todas as novidades, guias e reviews sobre videogame e tecnologia! E se você estiver interessado em chaves de jogo a preços acessíveis, recomendamos que você dê uma olhada no catálogo InstantGaming!

Pontos a favor

  • Configuração sugestiva
  • Excelente trilha sonora
  • Pontos contra

  • Mecânica de tiro desleixada
  • Cidade vazia e asséptica
  • Progressão de personagem desequilibrada
  • Narrativa às vezes confusa
  • Falta de conteúdo
  • (em oferta na amazon.it)A não perder!